Mini resumo da Liga Europa

Benfica 2 – Tottenham 2: E porem o Garay a ponta de lança, não?

Nápoles 2 – Porto 2: Grande segunda parte dos tripeiros. O golo de Quaresma é épico. Hoje até eu lhe comprava um tapete…

O Fabiano é tipo o abominável homem das neves. O próprio Mangala, que tem 1.87m, parecia uma criança ao lado dele, no alinhamento das equipas.

 

Anúncios

Incidências de Alvalade

Os erros de arbitragem voltaram a ser o destaque de mais um jogo do Sporting. Contrariamente à tendência, desta vez houve benefício para o Sporting. Curiosamente, o lance que os adeptos do Porto mais reclamam (talvez por ter sido o que originou o único golo da partida) nem foi para mim o lance mais grave. O fora-de-jogo do André Martins é no limite, tal como os do Montero na primeira volta. Já aqui disse isto e volto a reforçar: os árbitros não estão em casa a ver repetições em câmera lenta e com linhas virtuais, e este fora-de-jogo só se consegue vislumbrar desta maneira. Não se pode criticar o fiscal por este lance, até porque em caso de dúvida, a regra diz para beneficiar a equipa que ataca. Foi o que sucedeu.

Na minha opinião, onde o Porto pode reclamar é na obstrução de Cedric a Jackson, perto do intervalo. Vendo o lance em repetição, dá a entender que a acção de Cedric perturba de forma faltosa o cabeceamento do colombiano. Um penalti neste lance não me chocaria. Os adeptos do Porto falam no eventual segundo amarelo para Cedric aqui, mas tal não faz sentido, porque o lateral do Sporting acabou o jogo sem nenhum cartão.

Hoje BdC deu mais uma conferência de imprensa com foco na arbitragem. Não me revejo aqui. Começam a fartar este tipo de “eventos” e espero que tal não se torne um habitué das segundas-feiras. Ficou-lhe bem contudo ter reconhecido que houve benefício no lance de André Martins. Espero que este tipo de conferências de imprensa fiquem por aqui, da mesma forma que espero arbitragens isentas até ao final do campeonato.

PS1: Já agora, de quem é a culpa do FC Porto ter tantas derrotas fora como o… Arouca?

PS2: O Benfica deu hoje outra enorme prova de força ao marcar 4 golos num dos campos mais difíceis  da liga. O campeonato está cada vez mais entregue.

Ainda me estou a beliscar…

…para ver se estou ou não a sonhar. Um árbitro português teve o PAR de tomates necessário para apitar um penalti no dragão contra o Porto, e expulsar o jogador que cometeu a infracção. É de facto um dia histórico. Não fosse a patética decisão do Conselho de Disciplina da FPF na sexta-feira passada (multa de 383 euros e confirmação do Porto na meia-final da Taça da Liga) e começava realmente a acreditar que algo estava a mudar no futebol português.

Na flash interview após o jogo, Paulo Fonseca, bem ao seu estilo afirmou: o resultado foi injusto. O Beira-Mar na primeira parte, não chegou sequer à nossa baliza.

Quem bate no autocarro é tripeiro…

Fonseca continua de recorde em recorde. Com o Austria bateu um recorde, ao ser o primeiro treinador do Porto a terminar um grupo da Champions sem vitórias em casa. Este sábado, mais um marco: há 43 anos que o Porto não perdia em Coimbra para o campeonato. O falhanço de Mangala, também deve ser recorde em qualquer lado…

Todos sabemos que Pinto da Costa adora roubar jogadores ao Benfica e ao Sporting.
Nunca pensei é que o homem fosse tão longe ao ponto de querer roubar para o Porto
o papel que o Sporting fez na época passada.

Olhando para a foto em baixo, tirada esta madrugada, onde os super-dragões faziam uma espera ao autocarro do Porto, digam lá se a primeira ideia que vos ocorre não é: Carmageddon…

FUTEBOL

Ainda sou do tempo…

…em que o FC Porto ganhava jogos em casa para a Champions.

Ao somar o segundo empate consecutivo no dragão, o FC Porto terá hipotecado hoje a hipótese de apuramento para a próxima fase da Liga dos Campeões. Quando se empata em casa com a equipa mais fraca do grupo, não se pode ambicionar a mais. O Austria de Viena, inclusivamente, marcou hoje o seu primeiro (!!) golo na competição.

Onde estão afinal os problemas? Os erros defensivos individuais são uma das razões. Em Belém foi Mangala, contra o Nacional foi Otamendi, hoje foi Danilo. Para a semana vai calhar ao Alex Sandro…

Outro problema é a táctica usada face aos intérpretes que tem. O Porto joga em 4x3x3, mas não tem extremos de qualidade. Josué não é extremo. Licá e Ricardo não sabem mais (não são claramente jogadores para o Porto). Sobra Varela, o único extremo de qualidade. É curto.

As laterais? Danilo e Alex Sandro são para mim, dois dos melhores laterais da Europa. Mas não podem fazer 90 minutos, com aquele ritmo, duas vezes por semana. Alternativas? A única válida, Fucile, não conta para o treinador, devido a motivos extra-futebol.

Já agora, onde anda o Izmaylov? À procura do “i” ?

PS: O Lucho no final do jogo trocou de camisola com um austriaco. Não sei se a malta d’A Bola quer aproveitar para fazer mais uma capa…

Têm o que merecem

Paços de Ferreira.
Invariavelmente é isto que acontece aos clubes pequenos sempre que se associam (leia-se prestam vassalagem) ao FC Porto: último lugar da liga e treinador despedido antes do mês de Novembro.

Assim de repente também me lembro de um tal de União de Leiria: ele foi Derlei, Maciel, Helton e José Mourinho. O presidente do clube e Pinto da Costa tornaram-se grandes amigos. Andam por onde mesmo? Distritais?

Salada russa

Os adeptos que hoje se deslocaram ao dragão, apesar de verem a sua equipa sair derrotada, terão ficado satisfeitos com 2 aspectos. Primeiro, assistiram a algo histórico: uma arbitragem no dragão que não foi caseira. Segundo, a espectacular reacção da equipa quando se viu reduzida a 10. Já lá vamos.

A precoce expulsão de Herrera pode-se considerar justa, na medida em que os 2 lances são para amarelo, mas igualmente precipitada, já que se aceitaria que o árbitro  deixasse passar o segundo lance apenas com um aviso ao mexicano, tendo em conta que o amarelo anterior tinha sido 1 minuto antes.
Mesmo a jogar com 10 desde os 85 minutos o Porto foi superior ao Zenit. Mais. Spaletti fez Paulo Fonseca parecer um treinador de topo, tal foi a inaptidão mostrada pela equipa russa. Como se explica que uma equipa a jogar tanto tempo com mais um não tenha assumido o jogo? Mas que esperar de um treinador que costuma colocar Witsel a jogar a trinco…

O Zenit, com um orçamento que ronda os 100M de Eur, não pode ter como fio de jogo bolas para a frente, em busca das correrias de Danny ou Hulk (e como correu o ex-Porto, de longe o melhor em campo do lado do Zenit). Face à exibição e oportunidades de golo criadas pelos dragões, o resultado de hoje é largamente injusto. O próprio empate até teria sido lisonjeiro para o Zenit. Valeram os ferros e a segurança do redes Lodigin.
Será o Sporting a pagar a fava?

O efeito “Proencinha”

Resultado Final: FC Porto 1 – At. Madrid 2

Se o árbitro da partida tivesse sido Pedro Proença, o primeiro golo do Atlético teria sido anulado por falta sobre Helton. O segundo teria sido anulado por fora de jogo do Turan. No final, o Porto tinha ganho 2-0, porque o “melhor árbitro do Mundo” ainda teria visto um penalti a favor do dragões. É este o efeito “Proencinha”…

Curiosidades…

Número e factos sobre o campeonato que agora findou:

– O Izmailov teve de mudar de nome (para Izmaylov), para finalmente ser campeão.

–  Jackson Martinez marcou golos a todas as equipas do campeonato, em ano de estreia.

– Foram zero as conferências de imprensa nas quais Jorge Jesus chegou ao fim sem cometer nenhuma gaffe.

–  Foram 184, as capas de jornais desportivos que davam o Benfica como campeão.

– Foram 7893 as vezes que Pinto da Costa se referiu ao Benfica nos seus discursos.

– O Sporting teve mais treinadores este ano (5) do que vitórias fora de casa (4).  Dass!

 

Podia ter ido para qualquer lado

Parece que Liedson e Izmailov vão finalmente ser campeões…

Minuto 66:
Não percebi a saída de Gaitan para entrada do Roderick. Gaitan consegue segurar a bola como  ninguém e era disso que o Benfica precisava. E o Roderick não é jogador para o Benfica.

A sorte esteve do lado do FC Porto. Quando já poucos acreditavam que poderia haver um vencedor, Kelvin saca um grande golo da cartola. A recepção de bola com o pé direito foi excelente, colocando-a na posição ideal para o remate de pé esquerdo.

Ao longo da semana, a imprensa só falou numa equipa: o Benfica.
Vejam as capas dos jornais desportivos desde a passada terça-feira até este sábado.
Parecia que iam jogar sozinhos. Parecia que do outro lado não havia uma equipa com qualidade e com legitimas aspirações de ser campeã.
Uma grande parte da força e vontade de vencer do FC Porto, tem origem no desprezo a que são sujeitos pela imprensa. Mas quando o único critério editorial é vender… não se pode esperar muito mais.

Trabalho positivo de Pedro Proença num jogo em que os jogadores não complicaram.
Tirando o fora de jogo não assinalado, em que o puto Saúl rematou ao poste (e aí o erro foi do fiscal), Proença passou despercebido.

Aquela queda de Jorge Jesus, de joelhos, no final do jogo, não deixou nenhum adepto indiferente. O futebol, por vezes, consegue ser cruel.

 

Coisas que o Izmailov faz no Porto que não fazia no Sporting

1 – Treinar com regularidade.

2 – Jogar à bola mais do que 25 minutos por jogo.

3 – Pôr um “S” na camisola só para dizer que em Alvalade nem sabiam escrever o nome dele.

4 – Ser expulso.

Izmailov foi expulso por volta dos 90 minutos na meia final da Taça da Liga contra o Rio Ave, por empurrar um tipo chamado… Lion.

Acho que o russo está a levar demasiado a sério o ódio que tem ao Sporting.

 

O peso de Moutinho

Deve andar à volta dos 65 Kg, mas no meio campo do FC Porto, o número 8 pesa toneladas.
Nos últimos 4 jogos realizados pelos dragões (todos sem Moutinho), o Porto apenas ganhou um: em casa, contra o Estoril, naquela que foi uma das exibições mais fracas da equipa este ano.

Contra o Málaga, a sua ausência foi ainda mais notória, já que se tratava de um jogo em que o Porto iria jogar muito sem bola, coisa que Lucho, por exemplo, não está talhado para fazer. A eliminação contra os espanhóis passou muito pela ausência de Moutinho e nas invenções que Vitor Pereira fez para a suprir. Invariavelmente o escolhido é Defour, e a diferença é obviamente abismal, tanto a atacar como a defender. Na minha opinião, o único jogador que Defour pode eventualmente substituir naquele meio-campo, é Fernando. Quando o colocam no lugar de Moutinho (ou até no de Lucho) a qualidade de jogo dos “tripeiros” muda da noite para o dia. A meu ver, a melhor alternativa para jogar no lugar de Moutinho seria Izmailov, mas o russo parece ter entrado em “modo Sporting”, ou seja, não joga, sem se saber muito bem porquê.

Já agora, conseguem adivinhar quem também não jogou quando o Porto foi eliminado da Taça de Portugal, contra o Braga?

 

Jornada 22

Porto 2 – Estoril 0
O Porto é uma nação carago… mas portuguesa não será certamente. Os dragões entraram em campo contra o Estoril sem um único português no 11 titular. Benfica style!
Em Maio, na altura do FC Porto – Benfica, se Moutinho não estiver disponível, existe a possibilidade de as duas melhores equipas portuguesas da actualidade disputarem entre si o título de campeão português, sem um único jogador nacional entre os 22 titulares. Depois ainda temos a lata de pedir títulos à Selecção nacional…

“Melhor equipa do Mundo” (segundo Jesualdo) 1 – Sporting 1
Todas as notas humorísticas que eu podia fazer sobre este jogo, seriam sempre inferiores às tiradas de Jesualdo na press conference:
“Esta equipa é como os melões. Só depois de abertos é que se sabe o que vai sair.”
“Na primeira parte faltámos à escola…”

Benfica 5 – Gil Vicente 0
O Benfica marcou quase tantos golos neste jogo (5) como o Sporting em toda a sua segunda volta (7).
Pequena nota para a gestão de Jesus: Nesta fase da época, e com 3-0 ao intervalo, não se percebe como Enzo Perez jogue quase 80 minutos e Lima 85.

Golões na Luz

Os dois golos do Benfica na noite de ontem valem por si só um post. O primeiro é um grande momento individual de Ola John. O segundo é um grande movimento colectivo da equipa desde a desmarcação de Lima e Gaitan solicitados por Artur, até à classe de Lima no cruzamento para Matic.

Custou-me contudo a perceber se o jogo foi transmitido pela SIC ou pela Benfica TV…

Segue-se o Bordéus, equipa a meu ver mais acessível que este Bayer, pelo que o Benfica tem tudo para chegar as quartos-de-final da prova. Veremos qual os custos que estes “jogos-extra” terão no onze base da equipa, lembrando que o Porto também deverá ter mais uma eliminatória a jogar, considerando que são favoritos a passar aos quartos da Champions. Até nisto estão equilibrados…

 

Resumo da jornada 19

Novo clube do Costinha – FC Porto: O Izmailov foi titular e jogou os 90 minutos…

Gil Vicente – Sporting: A equipa de Alvalade parece que decidiu (e bem) apostar finalmente na exploração do trabalho infantil, apresentando-se a jogo com uma equipa de 21 anos de média de idades. Hugo Vieira bisou pelo Gil. Para quem não se recorda é aquele jogador que esteve para assinar pelo Sporting, mas optou por ir para o outro lado da segunda circular, onde poderia quiçá desenvolver o seu futebol e chegar à selecção. Hugo, esqueceste-te de um pormenor importante: não és sul-americano.

Porto – Académica: O Porto ganhou em casa à Académica, com um golo de penalti no último minuto dos descontos. Tudo normal até aqui. Hã? Foi o Benfica? Que situação… Pensava que isto de penaltis no último minuto quando o jogo está empatado fosse só para os lados do dragão.

Rio Ave – Braga: Éder é o rival directo de Hélder Postiga na selecção e ontem mostrou que tem pormenores bem ao nível do jogador do Zaragoza. Chutou ao lado com a baliza escancarada. O penalti sobre Mossoró vem mostrar mais uma vez (se ainda dúvidas existissem) o quão fracos são os árbitros portugueses. Qualquer tipo no estádio ou a seguir pela televisão, conseguia adivinhar que o “zuca” se ia “jogar” para o chão naquela situação. Como é que uma simulação tão mazinha é capaz de enganar um árbitro mais 2 assitentes?

 

“Castigos”


“Isto vai sair-te caro”

by Pedro Proença no seguimento da expulsão a Cardozo, após o striker do Benfica lhe ter puxado a camisola. Saiu caro realmente. Um jogo de suspensão. Tendo em conta que a suspensão dada a Cardozo deve ter levado em conta o relatório do árbitro, só se pode concluir que Proença precisa de ir ao Colombro em breve. E os dentistas estão caros…Relembrando que o “Tacuara” seria sempre suspenso por um jogo (foi expulso), conclui-se que o puxão à camisola do árbitro não foi sequer considerado.

Falando em outro não-castigo, o FC Porto continua em prova na Taça da Liga. Um bravo à comissão de disciplina da Liga. Não é todos os dias que se consegue agradar a Porto e Benfica.

 

O meu pé esquerdo

Belo jogo hoje na Luz entre aquelas que são claramente as duas melhores equipas da actualidade do futebol português. De longe.

Sem James, Vitor Pereira mostrou respeito pelo adversário e colocou Defour descaído para a direita. O belga dava uma ajuda a Fernando e a Moutinho no miolo, procurando pressionar alto Matic e Enzo Perez no momento de construção do jogo encarnado. Lucho seguia mais adiantado no apoio ao ponta de lança, Jackson.

No Benfica, a única semi-supresa foi a entrada de Gaitan para o lugar de Ola John. Luisão indisponível, dava lugar a Jardel na defesa.

O jogo começou a um ritmo frenético, com 4 golos nos primeiros 20 minutos. O pé esquerdo de Matic protagnizou o golo da noite. Um estoiro, de primeira, ao ângulo da baliza de Helton. O sérvio do Benfica mostra de jogo para jogo, um reportório técnico que não se lhe conhecia. Estaria aqui um jogador completamente eclipsado caso Javi Garcia não tivesse saído. O futebol tem disto. Mais atrás, outro pé esquerdo, o de Artur, fez um erro do tamanho do estádio e ofereceu o momentâneo 1-2 ao Porto. Torna-se quase impossível ganhar um jogo tão equilibrado quando se “oferece” uma oportunidade destas ao adversário. O empate surgiu logo depois, seguramente para alivio de Artur e por aí ficaria o resultado. O que se seguiu foi um jogo muito equilibrado, com a melhor oportunidade de golo a pertencer ao Benfica, num remate de Cardozo, que o Helton desviou para o poste.

Conclusões após o final do jogo? Parece-me que o Porto vai ser campeão. Digo isto pelo choradinho que Vitor Pereira fez após o jogo, atirando culpas e responsabilidades para a arbitragem. Já o ano passado, sensivelmente por esta altura, o treinador portista fez o mesmo, após a derrota em Barcelos, com os resultados que se conhecem.

PS: Pinto da Costa mais uma vez brilhante no final do jogo. De smart phone na mão mostrando o site da liga aos jornalistas e dizendo: “Vejam bem, no site da liga o resultado do jogo foi 3-2 para o Benfica. Não sei se era isso que estava previsto acontecer…”

PS2: Parem lá de fazer refresh no site onde vêem os resultados. Não foi um erro de carregamento. O Sporting ganhou mesmo. Fora! Por dois golos de diferença!

 

A crise no FC Porto

Dois jogos, duas derrotas. Um balanço 100% perdedor do FC Porto nas últimas duas partidas lança os dragões num caos directivo. O que se avizinha será a demissão do treinador, seguida de eleições presidênciais antecipadas, à qual Pinto da Costa seria impossibilitado de concorrer.

É isto que eu proponho. Digam lá que não dava uma boa capa do jornal A Bola.