Mais um anulado

Segue mais um golo mal anulado ao Sporting neste campeonato. A vitima foi de novo Montero (fizeram-lhe o mesmo na 19a jornada, contra o Olhanense). O jogador está tão estereótipado com o fora de jogo, que tal como escrevi aqui há algumas semanas, os árbitros só o vão deixar marcar golo em remates fora de área…

Até lá continuamos a ler na imprensa que o colombiano não marca para o campeonato desde a décima segunda jornada…

 

Anúncios

Incidências de Alvalade

Os erros de arbitragem voltaram a ser o destaque de mais um jogo do Sporting. Contrariamente à tendência, desta vez houve benefício para o Sporting. Curiosamente, o lance que os adeptos do Porto mais reclamam (talvez por ter sido o que originou o único golo da partida) nem foi para mim o lance mais grave. O fora-de-jogo do André Martins é no limite, tal como os do Montero na primeira volta. Já aqui disse isto e volto a reforçar: os árbitros não estão em casa a ver repetições em câmera lenta e com linhas virtuais, e este fora-de-jogo só se consegue vislumbrar desta maneira. Não se pode criticar o fiscal por este lance, até porque em caso de dúvida, a regra diz para beneficiar a equipa que ataca. Foi o que sucedeu.

Na minha opinião, onde o Porto pode reclamar é na obstrução de Cedric a Jackson, perto do intervalo. Vendo o lance em repetição, dá a entender que a acção de Cedric perturba de forma faltosa o cabeceamento do colombiano. Um penalti neste lance não me chocaria. Os adeptos do Porto falam no eventual segundo amarelo para Cedric aqui, mas tal não faz sentido, porque o lateral do Sporting acabou o jogo sem nenhum cartão.

Hoje BdC deu mais uma conferência de imprensa com foco na arbitragem. Não me revejo aqui. Começam a fartar este tipo de “eventos” e espero que tal não se torne um habitué das segundas-feiras. Ficou-lhe bem contudo ter reconhecido que houve benefício no lance de André Martins. Espero que este tipo de conferências de imprensa fiquem por aqui, da mesma forma que espero arbitragens isentas até ao final do campeonato.

PS1: Já agora, de quem é a culpa do FC Porto ter tantas derrotas fora como o… Arouca?

PS2: O Benfica deu hoje outra enorme prova de força ao marcar 4 golos num dos campos mais difíceis  da liga. O campeonato está cada vez mais entregue.

Dissecando o jogo de Setúbal

Quando os jogos são muito “quentes”, como foi o Setúbal – Sporting deste domingo,  prefiro esperar pelo dia seguinte, para a frio tecer a análise à partida da forma o mais imparcial possível. Se há coisa que não tem faltado a este jogo é uma série de teorias, sobre aquilo que foram ou não erros. A minha visão é esta:

Vamos aos lances:

Minuto 30: Adrien introduz a bola na baliza adversária. O golo é mal anulado, o 23 do Sporting estava claramente em jogo no momento do cabeceamento de Slimani.

Minuto 34: Slimani faz o 1-0 para o Sporting. O lance é muito difícil de ajuízar. Em tempo real, fica a sensação que a bola entra de facto na baliza, mas mesmo 24 horas depois do jogo, não há qualquer imagem (nem da Sportv nem de qualquer outro orgão de comunicação social) que mostre de facto se a bola passou ou não a linha de golo. O lance é de tal forma difícil, que não o posso considerar como erro a favor ou contra o Sporting.

Minuto 85: Penalti para o Sporting por alegada falta sobre Capel. Isto é um daqueles penaltis à Porto, que a favor do FCP é invariavelmente marcado, mas que para mim não o é. Há um série de ex-árbitros, entre os quais Pedro Henriques (que respeito bastante) que considera que o lance é penalti. Para mim, o espanhol mesmo sendo tocado, procura “cavar” a falta.

Minuto 89: Se o penalti anterior ainda podia oferecer dúvidas, este então é uma “lolada” de todo o tamanho e um sério candidato a penalti mais mal assinalado do ano. Desde os tempos do Mossoró que eu já não via uma simulação destas nos relvados portugueses. É fácil de perceber que este apenas foi marcado, porque o árbitro ficou a “moer” o penalti marcado 4 minutos antes…

Resumindo:
Nos 2 lances em que se diz que o Sporting foi beneficiado, ou fica a dúvida, ou há margem para dupla interpretação. Nos 2 lances em que o Sporting foi prejudicado (ou o Setúbal beneficiado, como preferirem…) não há dúvidas. São dois lances claros. Adrien estava em jogo, e ninguém do Sporting toca no jogador do Setúbal no lance do penalti.

PS: Como o futebol não é apenas (mas também) feito de más arbitragens, queria realçar o pequeno-grande erro de Rojo no primeiro golo do Setúbal. Não sei se Jardim vai ou não puxar as orelhas ao central, mas devia-o fazer. Vejam os primeiros segundos do lance, onde se vê toda a defesa do Sporting a subir para colocar o avançado do Setúbal em offside, enquanto o argentino é o único que recua, deixando-o em jogo…

Link para o 1o golo do Setúbal

Descubra as diferenças…

Belenenses – Benfica
Setúbal – Sporting

No primeiro jogo, o Belenenses marcou um golo válido, mal anulado pelo árbitro. No segundo, o Sporting viu um golo limpo ser-lhe anulado.

No primeiro jogo, Miguel Rosa, um dos melhores jogadores do Belenenses não jogou, devido ao “acordo de cavalheiros” feito entre os presidentes dos clubes (tinha de ser assim, porque qualquer clásula que impedisse o jogador de jogar é ilegal). No segundo jogo, João Mário, emprestado pelo Sporting ao Setúbal, não se engripou no decorrer desta semana e jogou contra o Sporting.

É também com estas diferenças que se fazem os campeões, não é?

Adiado

O derby foi adiado.

Se o motivo foi a sujidade do relvado, cheio de detritos que caíam da cobertura, então não percebi. Já vi coisas bem mais sujas no relvado da Luz, tipo a arbitragem do Capela o ano passado, e ninguém adiou o jogo. O próprio Jorge Jesus, veio dizer que também não entendia o adiamento da partida. Diz ele que o relvado estava, de acordo com a sua definição da palavra, limpinho, limpinho.

Sem estofo

A equipa do Sporting é uma equipa constituída por jovens com potencial, na sua grande maioria portugueses e bem orientadas por Leonardo Jardim, que está ainda no seu primeiro ano de trabalho no clube. Bruno de Carvalho é também uma lufada de ar fresco naquilo que têm sido as últimas merdas de presidentes do Sporting. Analisando isto, o futuro parece ser prometedor para o clube de Alvalade.

Contudo, na presente época, a equipa demonstra que ainda não tem estofo. Pelo menos aquele estofo que faz das equipas campeãs. Depois de ter visto o Porto perder na Madeira, e o Benfica empatar no Minho, não se pode aceitar, a uma equipa que quer o título, que a jogar em Alvalade e perante 40 mil adeptos, não consiga ganhar à Académica. Neste jogo ninguém foi de “Mota” roubar um golo ao Sporting. Também não quero saber que o keeper da Académica tenha sido o melhor em campo. Diz que houve atitude, pois houve, mas isso não pode ser algo de louvar. Atitude tem de haver sempre! Em todos os jogos. É uma obrigação. Os jogadores ganham fortunas e têm a profissão que todos gostariamos de ter.

O que é digno de nota e que reconheço, é que esta equipa, a quem quase todos apontavam mais uma época sofrível, aproxima-se do último terço do campenato ainda na luta pelo primeiro lugar. E isso sim, é algo que consigo enaltecer. Mas neste último domingo, os 3 pontos eram obrigatórios.

Uma morte anunciada

Este é um post para se ler agora e se reler no final da época.

O jogo de ontem entre Sporting e Nacional marcou um limite. Foi o limite, no qual, o poder instalado decidiu dizer, basta de Sporting. Já deixaram de ser uma equipa simpática que nunca faz nada e passaram a ser uma equipa incomodativa. Incomodativa demais.

O jogo de ontem, e não nos queiram tomar por parvos nem ingénuos, veio pura e simplemente transmitir uma mensagem: em termos classificativos, o Sporting, nada mais pode ambicionar que ao terceiro lugar. O poder instalado não vai permitir mais. Como poderia? De que forma seriam vistos Porto e Benfica, se perdessem um  campeonato para uma equipa com um terço do seu orçamento? De que forma seriam vistos Porto e Benfica, se perdessem um campeonato para uma equipa constituída na sua maioria por jovens jogadores portugueses formados na academia do clube? Como iriam eles justificar os investimentos milionários feitos em sérvios, sul-americanos, e outros que tais, se ficassem atrás de uma equipa constituída por, e repito, jogadores portugueses formados no clube e com salários muito inferiores a outros? Mais. Qual o impacto que esta politica gastadora de Porto e Benfica teria nas finanças do clube, caso um deles falhasse o acesso à Champions? Isso nunca saberemos, porque a podridão que reina neste futebol, à qual os árbitos dão forma, nunca deixará tal acontecer.

O que se passou ontem, não foi um daqueles tradicionais erros, género penalti não assinalado, ou fora de jogo mal marcado que acaba com uma jogada prometedora. Não. O que se passou ontem, foi pura e simplemente tirar um golo a uma equipa. Ponto. O apito do árbitro inclusivamente só surge após a bola estar dentro da baliza. Porquê? Porque podem. Os árbitros têm o poder que querem. Os árbitros têm clube. Os árbitros têm preferências e podem ser influenciados. Alguma aves raras virão dizer: “mas um clube que ser campeão tem de jogar muito melhor que os seus adversários”. Mas alguém conhece um clube campeão que não tenha ganho 5 ou 6 jogos pela margem minina e a jogar mal? É que nem sempre é possível golear. Nem sempre é possível produzir exibições com qualidade suficiente para ultrapassar adversário e árbitro.

O que se viu ontem, está ao nível do que se viu em Alvalade na época de 2006/07. Aí, o Sporting de Paulo Bento, também formado por uma equipa bastante jovem, vinha acumulando uma série interessante de vitórias, incluindo uma para a Champions contra o Inter. No jogo seguinte, em casa, com o Paços de Ferreira, são travados por um golo marcado por Ronny, com a mão. Todo o estádio o viu e sem necessidade de repetição. Esse campeonato terminou com o Sporting em 2o lugar, a 1 ponto do FC Porto, com o qual tinha vantagem no confronto directo. Ronny veio dizer no final do jogo, com um sorriso na cara: “Não foi com a mão, foi com a cabeça…”
Tal como Miguel Rodrigues, o jogador do Nacional, que foi “empurrado pelas costas” e que caíu para trás: “Senti o toque e caí. O árbitro marcou a falta. Normal”. Devemos ser todos estúpidos realmente…

Os nossos jornalistas, que podiam e deviam denunciar tudo isto, o que fazem? Assobiam para o lado. Preferem fazer capas do estilo: desde o tempo dos dinossauros que os 3 grandes não dobravam o ano em igualdade pontual. Mas qual é o interesse disso?

Ou então, ainda melhor, como ouvi ontem um comentador dizer: “É muito mais engraçado assim, com os 3 grandes empatados na frente”. Foda-se… Que mais se pode dizer? Mas até quando vai durar esta mediocridade? Para quando jornalismo a sério? Para quando reportagens que realmente importem e que metam o dedo na ferida? Vocês são profissionais pagos!! Até em Itália houve clubes a descer de divisão. Aqui, as escutas do apito dourado não têm validade juridica.

Pó caralho com este conjunto de corruptos, coniventes e virgens ofendidas que me conseguem tirar uma das coisas que mais gosto nesta vida: o futebol, jogado de forma limpa e sem influência de terceiros. Às vezes dou por mim a pensar: “Como gostava de ter nascido em Inglaterra…”

Um sapo verde

Esta equipa do Sporting ainda não ganhou nada (falo de títulos oficais), mas já teve o mérito de ter obrigado as gentes do “jornal” Record a colocar o Sporting no primeiro lugar da tabela classificativa. Agora, como a diferença é pontual, já não se podem fazer valer do “nosso critério” e têm de pôr o clube de Alvalade no lugar que é seu ao fim de 12 jornadas. Deve ter sido difícil, em particular para o seu director, João (Meu) Querido (Benfica) Manha, que teve de engolir um sapo. Custou-te? Acredito, afinal de contas era um sapo grande e verde…

O passado, o derby e o futuro

O derby foi uma jogatana do car***, foi sim senhor, mas…

O desnível entre as duas equipas é maior do que o jogo de ontem transpareceu.

Nos últimos anos (em particular a época passada), a diferença de qualidade entre o Sporting e o Porto / Benfica, tem sido de tal maneira abismal, que não pode ser mitigada apenas de um ano para o outro.
Vão ser precisos vários anos de uma boa gestão de Bruno de Carvalho e de uma aposta contínua nos jovens da academia (não os vendendo às primeiras boas ofertas), para o Sporting se aproximar verdadeiramente dos níveis actuais de Porto e Benfica.
Ontem valeu o crer e a alma dos jogadores do Sporting que os permitiu jogar de igual para igual contra uma equipa que joga junta há vários anos e cujo orçamento é largamente superior. Foi a vontade deles, aliada à qualidade que têm obviamente, que fez com que a vitória pudesse ter caído para qualquer lado.

Uma das principais diferenças entre as equipas reside na defesa.
Maurício e Rojo são centrais de razoável qualidade, mas não são centrais para uma equipa de topo. Pelo menos ainda (conseguirão lá chegar?). Esse foi aliás um dos factores que fez desiquilibrar o jogo do dragão há umas semanas atrás. Lá, Mauricio fez um penalti completamente infatil, enquanto Rojo ficou impávido a ver Danilo passar por ele e fuzilar para para o 2-1. Ontem, Cardozo (a única referência atacante no centro da área benfiquista), aparece completamente à vontade no 2-1 e no 3-1. Inaceitável.

Outro factor é a experiência. Os plantéis de Benfica e Porto têm muitos mais jogos no futebol nacional e europeu que o do Sporting. Resta ao clube continuar a apostar na base de jogadores que tem, sob a orientação de Leonardo Jardim, e sob alçada de Bruno de Carvalho, que é sem dúvida uma lufada de ar fresco face à merda de presidentes que os leões têm tido nos últimos 10 – 15 anos. Um pouco de paciência é o que se pede aos sócios e adeptos. Se já a tiveram com quem não a merecia, que a tenham agora com quem a merece.

E depois, Cardozo… com estes indices de eficácia, o paraguaio bem pode continuar a
empurrar Pedro Proença e Jorge Jesus. Até pode agredir o presidente ou até mesmo o
Eusébio, que ninguém se irá importar.

PS: Um derby destes não merecia ser decidido com um golo daqueles. Quanto à arbitragem, houve uma série de lances em que se pode aceitar uma interpretação dúbia. Excepto num. A mão de André Almeida na área, aos 108 minutos. Era penalti para o Sporting.

Sábado há derby

Derby
Sábado. Alvalade. Às 20h joga-se o primeiro clássico deste campeonato.

Cenários possíveis:

Sporting vence – Com 3 vitórias em 3 jogos, sendo que duas foram goleadas e outra sobre o eterno rival, o Sporting mesmo querendo fugir ao rótulo de candidato ao título, terá de enfrentar as próximas jornadas com o peso desse estatuto.

Empate – Tudo na mesma, resultado que não deixará história nem terá grande impacto anímico em nenhuma das equipas.

Benfica vence – Os adeptos do Sporting (como habitual) passarão da euforia à depressão e tudo estará mal de novo, desde o treinador passando pelos jogadores e presidente… O Benfica capitaliza mais uma injecção de moral depois da obtida frente ao Gil Vicente e relança-se definitivamente no campeonato. O Luisão chamará novamente “filhos da p…” aos adeptos encarnados.

Podes sempre ficar um ano a engraxar chuteiras…

CAP
Que sirva de exemplo a outros jogadores que se deixam manipular como fantoches.

Que sirva de exemplo a todos os abutres que andam a gravitar em torno do futebol e que nunca deram nada ao mesmo.

Espero agora que surja um qualquer clube estrangeiro, com uma oferta minimamente aceitável, à qual o Sporting adicione uma cláusula que impeça este ingrato de merda de  assinar por outro clube português no futuro, a menos que o Sporting receba uma bela indemnização. Não o quero voltar a ver de verde e branco…

 

Islam Slimani

Aí está o homem de área que o Sporting precisava.

O Sporting não podia estar dependente apenas de Cissé para impor presença física na área, até porque o ex-Académica é a meu ver um C-E-P-O. E com pouco sentido de baliza. Se era para contratar Cissé, estariamos melhor servidos com Betinho ou Alexandre Guedes (da equipa B). Surge então Slimani, que chega ao clube de Alvalade com números bastantes interessantes, tanto no seu antigo clube como na selecção.

O argelino terá a tarefa de fazer esquecer Wolfswinkel. Para quem nunca gostou do holandês (e eram muitos) recordo a sua performance enquanto esteve no Sporting:
88 jogos – 45 golos. Se o holandês ainda cá estivesse, seguramente que o Sporting não chegava ao intervalo do jogo de ontem, com o Braga, empatado a zero.

Caso Slimani não consiga substituir Wolfswinkel, e tendo em conta a foto, provavelmente irá fazer esquecer… Bruno Alves.

slimanisuperkick

Apanhados

– O português Rui Costa ganhou uma etapa da volta à França em doping. Não sei se o nosso tuga estava dopado ou não, mas é de enaltecer o feito deste “maestro” das bicicletas.

– Por falar em doping, que tal porem o Salvio a urinar para um frasquinho? O pequeno argentino está com mais ritmo agora do que a meio de uma época desportiva.

– Entretanto o Sporting divulgou os resultados dos testes de Q.I. feitos a jogadores e staff do clube. Destaque para Bruma, que ficou em último lugar, com um score inferior ao do roupeiro Paulinho.

 

Curiosidades…

Número e factos sobre o campeonato que agora findou:

– O Izmailov teve de mudar de nome (para Izmaylov), para finalmente ser campeão.

–  Jackson Martinez marcou golos a todas as equipas do campeonato, em ano de estreia.

– Foram zero as conferências de imprensa nas quais Jorge Jesus chegou ao fim sem cometer nenhuma gaffe.

–  Foram 184, as capas de jornais desportivos que davam o Benfica como campeão.

– Foram 7893 as vezes que Pinto da Costa se referiu ao Benfica nos seus discursos.

– O Sporting teve mais treinadores este ano (5) do que vitórias fora de casa (4).  Dass!

 

Um Jardim cheio de putos

LJ_apresentacaoEstá confirmado. Leonardo Jardim será o próximo treinador do Sporting. Por quanto tempo, ninguém saberá, até porque estamos a falar do Sporting.

Antes de mais, começando pelo timing, pode-se dizer que foi o ideal: logo após o final do campeonato. Pode-se ou não concordar com a escolha, mas viesse quem viesse tinha de ser neste momento.

Em relação à saída de Jesualdo, temos de nos focar no mais importante: foi o professor que não quis renovar. O amadorismo da estrutura do Sporting (que se espera que Bruno de Carvalho consiga inverter) terá tido influência na decisão de Jesualdo, mas em última instância a recusa foi sua. Jesualdo seria possivelmente a melhor pessoa para continuar a guiar o Sporting, tendo em conta a sua aptidão para treinar e evoluir jovens jogadores. Não conheço o valor de Leonardo Jardim neste campo, mas diria que não é tão forte como o treinador que agora sai. Grande parte do sucesso de Jardim, estará dependente daquilo que conseguir fazer com a fornada de “putos” que Jesualdo lançou na 1a equipa.

O professor tinha também a vantagem de já ter alguns meses de casa e de conhecer os jogadores, mas questiono-me, se com 67 anos, ainda teria a motivação necessária para abraçar o monstruoso desafio que será colocar de novo o Sporting na ribalta do futebol nacional e europeu.

Jardim, com 38 anos, português e sportinguista confesso poderá ser a pessoa ideal.
Traz consigo a ambição de nunca ter ganho nada de relevante  (foi despedido quando seguia em 1º no campeonato grego) e por consequência quererá mostrar o seu valor,
mas terá de ter, e de uma vez por todas, uma verdadeira estrutura que o apoie. O seu lugar não pode ser ameaçado ao primeiro empate. Ou à primeira derrota. Ou ao primeiro assobio.

Se Bruno de Carvalho lhe der o apoio necessário (e tiver algum cuidado com a mulher já agora), o perfil do treinador é o correcto.

PS: A próxima “dança” de treinadores deverá ser a saída de Vitor Pereira para a entrada de… Domingos Paciência?

Coisas que o Izmailov faz no Porto que não fazia no Sporting

1 – Treinar com regularidade.

2 – Jogar à bola mais do que 25 minutos por jogo.

3 – Pôr um “S” na camisola só para dizer que em Alvalade nem sabiam escrever o nome dele.

4 – Ser expulso.

Izmailov foi expulso por volta dos 90 minutos na meia final da Taça da Liga contra o Rio Ave, por empurrar um tipo chamado… Lion.

Acho que o russo está a levar demasiado a sério o ódio que tem ao Sporting.